X

Centro de Leilões Canoas

Central de atendimento (51) 3466-4589 De segunda a sexta-feira,
das 08h00 às 12h00
das 13h15 às 18h00
Siga-nos
Você não está logado,
acesse sua conta aqui.

Funcionamento

Para participar do leilão o licitante deve comparecer ao pregão munido de carteira de identidade, CPF e talão de cheques, não havendo necessidade de prévio cadastramento, salvo o edital preveja o contrário, editais estes publicados em jornais de grande circulação como o Diário de Canoas (Canoas, Esteio, Sapucaia), Gazeta Centro Sul (Guaíba), Diário de Cachoeirinha (Cachoeirinha), Zero Hora (POA). Para lançar é necessário ser maior e capaz.

 

Iniciado o Leilão serão anunciadas as condições do Leilão e os lotes com suas características e avaliações, um a um, pelo Leiloeiro (O leiloeiro é um agente auxiliar do comércio, nomeado pela Junta Comercial, atuando nos leilões judiciais como Auxiliar do Juiz). Caso haja interesse no lote que está sendo anunciado, o interessado deve levantar a mão e informar o seu lance para o Leiloeiro. A cada oferta é confirmado com o cliente o seu lance, se não houve erro na manifestação de vontade em lançar, pois após bater o martelo, o lance é irrenunciável. Se houver mais de um interessado no lote, inicia-se a disputa e arremata quem oferecer o maior lance. O lance vencedor sendo aceito, o arrematante deverá se identificar fornecendo um documento de identidade com foto a um dos assistentes, para o controle e futura emissão do Recibo de Sinal ao final do leilão, o qual não poderá mais ser alterado. Ao final do leilão, o arrematante deve se dirigir até o local indicado, para realizar o pagamento da arrematação e informar dados para a confecção do Recibo de Sinal. Forma de pagamento: O arrematante pagará no ato da compra, 20% de sinal mais a comissão do leiloeiro. O saldo de 80% do valor do bem arrematado deverá ser pago, impreterivelmente até 24 horas após o leilão, conforme Art. 690 do CPC (ou seja, 3 dias corridos), sob pena, de não o fazendo, perder os valores pagos a título de sinal e comissão.

 

Na hipótese de desistência ou arrependimento do lance ou proposta por parte do arrematante, este ficará obrigado a pagar o valor da comissão devida ao leiloeiro (5% a 10%), além do valor correspondente a 20% sobre o lance ou proposta efetuada, a título de multa, a ser revertida em favor do exequente, sem prejuízo de poder este, alternativamente, optar pela execução prevista no artigo 39, do Dec.21.981/32.

 

Todos os bens penhorados nos processos (Trabalhistas ou Cíveis) são avaliados por um Oficial de Justiça. Podem ser apresentados lances em qualquer percentual, inclusive inferior ao valor da avaliação, ressalvada a hipótese de o edital prever o contrário. Nenhum impedimento existe à apresentação de lances em valor maior ou menor ao sugerido. Cabe ao Juiz, aceitá-lo ou não. O lance sugerido é calculado com base no que normalmente sabemos que entende o Juiz da causa por homologar ou não.

 

Quando o maior lance ofertado não atingir o preço mínimo sugerido, serão aceitos lances condicionais, respeitada a legislação vigente, ficando sujeitos a posterior aprovação do Juiz da causa.


Os bens serão vendidos no estado em que se encontram, a descrição corresponde ao constante nos autos de penhora, depósito e avaliação. Recomendamos que sempre, antes de apresentar seu lance ou proposta, seja o bem de seu interesse examinado. As visitações para verificações dos bens à serem leiloados devem ser feitas nos dias agendados e informados no centro de Leilões Canoas ou em nosso site: www.centrodeleiloescanoas.lel.br.

Obs.: Não sendo possível efetuar o recolhimento do bem a ser leiloado, o leiloeiro irá informar previamente aos interessados na arrematação do mesmo, e havendo a confirmação no interesse de se arrematar o bem, a entrega no prazo estipulado e o estado de conservação do bem se darão por conta e risco do arrematante.  

 

Quaisquer despesas necessárias à transferência de titularidade, dos bens arrematados serão de responsabilidade do arrematante. As despesas oriundas de deslocamento, fretes e outras taxas ou impostos para a retirada dos bens, ficam por conta do arrematante, bem como toda e qualquer responsabilidade sobre o bem arrematado.

 

Tratando-se de leilão judicial, o prazo médio para a entrega do bem arrematado é de trinta dias não sendo interpostos recursos à arrematação. O arrematante deverá aguardar a homologação do leilão pelo Juiz para que realize a retirada dos bens arrematados. Lembrando mais uma vez que não existe um prazo para que ocorra a homologação, pois depende do andamento do processo. Referente ao andamento dos processos, informações serão prestadas em nosso escritório que realiza consultas junto às Varas correspondentes à execução, para agilizar a liberação dos bens aos arrematantes. Podendo também o arrematante consultar o andamento dos processos que estão aguardando homologação, pela internet no site: www.trt4.jus.brOs bens arrematados somente são liberados após a homologação da venda pelo Juiz.

 

Quando receber a carta de arrematação ou ordem de entrega do bem que é o título que dá ao arrematante a comprovação de que é seu o bem arrematado, através de sua apresentação ao depositário, o mesmo tem o dever de entregar-lhe o bem adquirido. Qualquer dificuldade neste sentido, trate-se de bem móvel ou imóvel, deve ser informada ao leiloeiro para que se encaminhem os trâmites necessários à imissão de posse.

 

As mercadorias liberadas e não retiradas no prazo de 5 dias após a homologação, ficam sujeitas a taxa de armazenagem, e após 30 dias serão dadas como abandonadas, nada tendo o arrematante a reclamar.

 

Se for interposto algum recurso e anulado o leilão, o valor do lance, que encontra-se depositado em conta remunerada em depósito judicial, lhe será devolvido corrigido e igualmente ocorrerá com o  valor pago à título de comissão do leiloeiro.

 

Ao apresentar seu lance o proponente declara-se ciente e de acordo com todas as condições acima mencionadas e as constantes do edital.